Implante Coclear

A História

Desde 1999, o Implante Coclear ou Ouvido Biônico, como ficou conhecido, é realizado no Brasil pelo SUS. Uma técnica inovadora, de alta tecnologia e muito eficaz, para quem não obteve resultados satisfatórios com o uso de aparelhos convencionais. No Implante Coclear são colocados dois componentes: um na parte interna do ouvido e outro na parte externa, que possui um microfone que capta os sons e envia ao componente interno que irá estimular as fibras através de pulsos elétricos codificados. 



O Implante faz com que os pacientes saiam do isolamento e voltem para uma convivência completa em comunidade. O novo mundo dos implantados permite: audição de sons cotidianos, compreensão e habilidades da fala, uso do telefone, percepção musical, ressocialização, além de outros benefícios

Pioneirismo

O Hospital Evandro Ribeiro é o único credenciado na região da Zona da Mata, Sul e Sudeste de Minas a realizar o Implante Coclear em pacientes do SUS. Mais de 200 procedimentos já foram realizados com sucesso, proporcionando aos pacientes ouvir e se relacionar plenamente em comunidade. A cirurgia está disponível também aos pacientes particulares e de convênios.

Conhecido como “Ouvido Biônico”, o Implante Coclear é uma técnica inovadora, de alta tecnologia e eficaz para quem não obteve resultados satisfatórios com o uso de aparelhos convencionais. Entre os inúmeros benefícios para os implantados estão a audição de sons cotidianos, compreensão e habilidades da fala, uso do telefone, percepção musical e ressocialização.

 

INSCRIÇÕES PARA PARTICIPAR DO PROGRAMA DE SAÚDE AUDITIVA/SUS:

JUIZ DE FORA: PAM MARECHAL: Rua Marechal Deodoro, 496, 3º andar, sala 308 (Setor de Órtese e Prótese).

OUTRAS LOCALIDADES: Secretaria de Saúde do município.

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS:

  • Xerox do RG ou certidão de nascimento
  • Xerox do comprovante de residência
  • Xerox do cartão do SUS
  • Xerox do CPF

Saiba Mais

Ainda tem dúvidas? Entre em contato conosco e marcaremos um dia para que um dos nossos profissionais possa tirar suas dúvidas pessoalmente ou por telefone.

É a implantação cirúrgica de um equipamento eletrônico na orelha dos pacientes com surdez profunda, que não se beneficiam do uso de aparelhos convencionais. O Implante Coclear é constituído de um componente externo que capta e envia os sons ao componente interno, estimulando as fibras através de pulsos elétricos codificados.
Não. O Implante Coclear é utilizado há mais de 30 anos. No mundo, são mais de 220 mil implantados. Trata-se de uma tecnologia sofisticada disponibilizada aos pacientes do SUS no Brasil a partir de 1999. Desde esta época, o Hospital Evandro Ribeiro é o único credenciado na região da Zona da Mata, Sul e Sudeste de Minas.
Não. O implante coclear permite que a pessoa implantada volte a ouvir sons e compreender a fala humana, mas não se trata de uma audição normal. A maior ou menor capacidade de distinguir os sinais sonoros vai depender de fatores como o tempo que a pessoa ficou sem ouvir, se o paciente já ouviu em algum momento da vida ou se tem algum código linguístico estabelecido. Há implantados que conseguem falar ao telefone, assim como existem pacientes que só percebem os sons sem compreender a fala.
Não. Como a qualidade do som gerado pelo Implante Coclear é diferente da qualidade dos sinais percebidos pelo ouvido total ou parcialmente saudável, o paciente teria muitas dificuldades em conciliar dois estímulos sonoros. Mas é possível que, futuramente, como a evolução do processamento da fala pelo Implante Coclear, seja indicado também para surdez unilateral.
Não. Antes de mais nada, seu bebê precisa ser acompanhado por um otorrinolaringologista, um fonoaudiólogo e um pediatra. Para se chegar à conclusão se a criança tem ou não deficiência auditiva, é necessário realizar outros testes e, em muitos casos, repetidas vezes. Desse acompanhamento, que inclui um período de reavaliações e estímulos ao bebê, poderá surgir a indicação para o Implante Coclear, normalmente realizado entre 1 e 2 anos.
O Implante Coclear pode ser realizado através do SUS no Hospital Evandro Ribeiro. Antes, porém, o paciente, se residir em Juiz de Fora, deve se inscrever no Programa de Saúde Auditiva ou, em outras localidades, procurar a Secretaria de Saúde do município.